Em meu primeiro projeto de UX fiz o design
da versão mobile de um site brasileiro de filmes.

A jornada
durante o projeto.

Procurei estabelecer uma rota para o projeto e enquadrar o problema a ser estudado. Colhi e organizei as informações que julguei necessárias, ganhando confiança para as etapas de pesquisa e ideação.

Objetivos e
desafios.

O objetivo maior era criar uma experiência mobile diferenciada através de um site pensado exclusivamente para as plataformas móveis. O maior desafio para isso seria trabalhar com tempo e informações limitadas.

Figura 1. Trajetória do projeto observada após a entrega.

Entendendo o problema.

Foi necessário pesquisar o usuário para criar e validar hipóteses que mais tarde guiariam escolhas de design. O formato utilizado nesses estudos se baseou nas necessidades específicas do projeto como a ausência de um budget para pesquisa e a importância de agir com agilidade.

Comportamento.

Durante um período de 5 dias o comportamento de usuários de sites com outras propostas análogas foi observado e registrado.

Cenários comuns.

Os cenários (provavelmente) mais comuns de visitamento dos usuários foram criados com base nas informações colhidas.

Análise competitiva.

Estruturei e categorizei todo o conteúdo de sites com propostas análogas para entender como estes lidavam com o conteúdo.

Explorando as possibilidades.

Uma vez que o problema estava melhor determinado, comecei a elaborar as possíveis soluções de forma visual através de sketches. Estes serviram principalmente para comparar ideias distintas e guiar o aumento de fidelidade.

Wireframes e
Wireflows.

Os wireframes foram construídos utilizando o Axure e foram utilizados para analisar de forma ampla a navegação e a disposição dos elementos, afim de determinar se haviam inconsistência navegacionais e de usabilidade.

Prototipando as
primeiras ideias.

O protótipo então foi construído utilizando Marvel de forma a possibilitar que as hipóteses que basearam as construções anteriores fossem testas e as dúvidas que surgiram pudessem ser esclarecidas.

O resultado final foi um protótipo para ser usado em sessões guiadas com usuários. Você pode testar o protótipo aqui.

Testes de 
usabilidade.

Os testes foram realizados no campus da universidade com 5 alunos. Em todos os casos um roteiro de perguntas foi seguido e os testes utilizaram o aplicativo Marvel App para Android.

O teste foi explicado e a reação individual de cada usuário foi registrada. No fim, algumas perguntas ainda foram feitas sobre o produto para levantar insights.

Hipóteses confirmadas

Foram várias as descobertas. A navegação parecia consistente e suficientemente reconhecível. As informações contidas nas páginas eram, no geral, o que os usuários esperavam encontrar. Enquanto algumas pessoas preferiram navegar utilizado o menu, outras se sentiram confortáveis utilizando a própria interface. As tarefas foram finalizadas sem grandes percalços.

    Problemas encontrados

    A similaridade visual entre a página de Filmes e a página das Listas estavam confundindo os usuários. Além disso, o box de pesquisa avançada foi completamente ignorado pela maioria dos usuários. As imagens utilizadas como capa para as listas apresentava outro elemento de confusão além de que a existência das listas na página de filmes causou algum espanto.

    Iterando com
    a pesquisa.

    Os testes concluíram que algumas questões necessitavam de mudanças. Assim, retomei o processo de criação desta vez focado em resolver os problemas específicos encontrados.

    Similaridades entre páginas eram confusas.

    A opção de listas em destaque foi removida tornando as diferentes páginas visualmente distinguíveis de forma suficiente para evitar as confusões.

    Busca por filmes não estava clara.

    A opção de procura avançada foi removida uma vez que a feature parece não afetar a capacidade dos usuários de descobrir os filmes.

    As listas não foram compreendidas.

    As imagens de capa das listas foram alteradas de forma a serem compostas pelo banner de três filmes nelas incluídos. Assim, os usuários tinham mais certeza sobre a natureza do objeto.

    A entrega final e o
    futuro do projeto.

    Finalizadas as alterações necessárias, o resultado foi entregue e o projeto encontra-se em fase de desenvolvimento.

    O que eu faria
    diferente.

    Sinceramente? Muita coisa. Prepararia o começo do projeto de forma mais organizada. Ainda nas fases iniciais, exploraria mais ideias e trabalharia em baixa fidelidade por mais tempo e, se possível, testar essas ideias com protótipos de baixa fidelidade.

    O que aprendi com
    o projeto.

    O processo todo me ensinou muito. Em primeiro lugar: done is better than perfect. A falta de cuidado e organização cobra preços altíssimos com o andar do projeto e, de fato, criar produtos para serem usados por pessoas requer uma mentalidade completamente diferente.

    Frequências de saudações abertas.